Sobre Miches

Hoje em dia é muito fácil arranjar uma trepada, para a maioria dos homens que gostam de homens mesmo quem mora em cidades menores contam com a internet, o facilitador de trepadas.

Ao vivo então basta ter um olhar atento, que em qualquer canto que você esteja pode ser um bom lugar para uma caça ou uma boa pescaria, a coisa vai da sala de espera do dentista ao ao supermercado.

No entanto, alguns homens que gostam de homens cansaram de sair na noite pra caçar e ver as bichas fazendo "carão". 

Outros falam sobre Internet?
Cansaram de só ver "bichas passivas" ou as "trucosas" que marcam encontro e simplesmente não vão!

Sobre Miches alguns dizem:
Tenho um boy fixo de programa e sempre que posso, procuro pelos seus serviços. Ele é muito bom como ATIVO (coisa que curto demais!), me respeita, é carinhoso e bem disposto (duas horas de programa), por um preço bem camarada. Eu não vejo problema algum...o dinheiro é meu!!

Sem Problemas . Tudo depende da hora , da vontade . Afinal na pressa na hora do tesão , quem segura !!!! tenho um amigo que diz, Pago dizimo e dou + 10,00 pra dizer que me ama !!!!

Não curto caçação nas ruas nem em points gays, sou mais objetivo, prefiro termas e garotos virís, mesmo pagando e procuro não imaginar que estou sendo enganado sobre a sexualidade do parceiro

Respeito todas as opiniões, mas as vezes para sair da rotina e manter o sigilo é melhor pagar, é melhor que ficar na mão, "eles são extremamentes carinhosos" É papo direto e são gostosos.

Que isso gente. Tudo vale do principio de cada pessoa.
No mundo moderno o pecado é tudo aquilo que nos deixa psicologicamente abalados, se está de boa, deixa rolar. Tem muita gente que a vida previlegia com um amor, e os carentes? O sol brilha para todos e como diz aquela personagem do Zorra Total: "Tô pagano". Rsrsrsrs.

Paga quem quer e quem sente bem, o triste mesmo é saber que muitos pagam por necessidade, medos, ou tantas outras questões.

Não uso atualmente, espero que nunca... Mas envelhecemos e, muito antes de perdermos o tesão,ficamos menos atraentes e cada vez menos gente se interessa. Então... espero que nunca, mas não dá pra saber como será o dia de amanhã. Não acho um problema pagar um. Mesmo evitando isso, pois prefiro que as experiências sejam mais espontâneas.

O negócio do michê se tornou uma referência para aqueles que se interessam pelas discussões sobre o desejo, as urbanidades, a sexualidade, as corporalidades e o mercado do sexo. Afinal entrar no mundo dos bares, saunas e ruas é apaixonadamente transgressiva, onde rapazes comercializam sexo, amam, brigam, negociam códigos e, por vezes, desejam o indesejável, o negócio do michê tem hoje a marca dos clássicos.
Outros dizem 

Já que a coisa está dando em árvores, que fim terão levado os garotos de programa?
Será que ainda existe demanda para o serviço que eles oferecem?
E quem procura por ele?

Essa também éra a minha pergunta: quem paga por sexo hoje, e por quê?
Nosso imaginário coletivo sempre encarou o sexo pago não como opção, mas falta de opção. "Pegar michê" é para velhos, gordos, solitários, gente que pendurou as chuteiras ou foi excluída do jogo.
Verdade ou lenda?

Lidando com esse tabu vemos que o tema provocava fascínio ou repulsa - jamais indiferença, todos sempre tem opiniões formadas sobre o assunto, e são convictos ao defendê-las.

O que mais me surpreende é a quantidade de caras jovens e atraentes que são clientes desse serviço.
Claro que também existem fregueses (especialmente nas saunas) que se encaixavam no estereótipo do coroa-da tia velha, mas isso está longe de ser regra, e quem crê nesse padrão está endossando um preconceito.

Preconceito, é uma palavra que esses clientes não conhecem, a maioria se mostra muito bem resolvida: nada de carência, solidão ou falta de perspectiva, eles sabem muito bem o que querem e o que estão fazendo ali.

Afinal sexo com um boy é uma possibilidade a mais, da qual você pode extrair o melhor de uma trepada, e que não inviabiliza relações de outras naturezas, inclusive namoros sérios.

Aliás, existem os bem casados, apaixonados e felizes que também se utilizam desse tipo de serviço.

As motivações e expectativas são variadas.

Da comodidade aos fetiches, são muitos os fatores que levam essas pessoas a se mimar com uma transa profissional, li histórias bem inusitadas e, no fim das contas, vi que eu mesmo tinha uma visão preconceituosa sobre o assunto e não sabia.

Não, é uma forma de prazer que agrada a muitos, mas não serve para todos. A questão crucial: o que está em jogo ali é a satisfação do cliente, e apenas isso. Se é para usar, gozar, se lambuzar - e simplesmente sentir prazer, será que vale.

Para alguns homens, isso pode ser muito excitante; para outros, o tesão do parceiro também é importante, ou mesmo fundamental, mas enfim, é sexo e sexo e cada um faz como melhor lhe cai bem.

Um comentário:

Legal obrigado por participar você é muito importante para o Olhar Masculino Gay de Piracicaba